quarta-feira, 25 de junho de 2008

Usina Salto Caxias


Esta é uma foto da Usina Governador José Richa, antiga Salto Caxias, em Capitão Leônidas Marques. Uma nova hidrelétrica está sendo planejada. Ela deverá estar a 20 km, rio abaixo. Este é um assuto que deve ser discutido. Como fica a sitiação das Cataratas do Iguaçu? Hoje, os guias de turismo de Foz do Iguaçu já avisam aos turistas que segunda-feira é o dia que menos tem água nas Cataratas. Terça-feira parece ser o segundo pior dia para visitar as Cataratas do Iguaçu. Creio que é hora de brasileiros e argentinos dizerem o que querem. Vamos nos conformar com umas Cataratas com um nivel artificial de água? O pessoal da área do turismo de Foz do Iguaçu e Puerto Iguazu deveria estar preocupado com isso!

3 comentários:

Dani disse...

Roteiros de praias, serras, ecoturismo, montanhas....é só acessar o site de turismo da RBH Praias: www.rbhpraias.com.br
Lá você encontrará uma enorme variedadde de opções de hotéis e serviços. E ainda pode consultar sua passagem aérea através do atendimento on line. É fácil e prático!!!

solange disse...

as pessoas esperam que se tome uma atitude de sim ou nao para a construçao dessa 2 usina eles dao esperança ou desenludao a populaçao de uma vez por todas

aranha disse...

Eu acho uma tremenda irresponsabilidade a construção dessa usina por 2 motivos. 1ªcom pouca água corrente que restará, a maior espécie do rio iguaçu será extinta (surubim monjolo Steindachneridion melanodermatum).2ª o impacto ambiental para o parque nacional do iguaçu será incalculavel. Acho que os estados do sul possuem energia elétrica sufuciente e nao devem pagar a conta dos outros estados. O problema é o consumismo desenfreado e estimulado pelos governantes. Se toda a raça humana consumisse ao ritmo dos EUA em 20 anos precisariamos de 5 planeta so para colocar o lixo gerado, e so temos 1.Os EUA possuem 4% de todo território com recursos naturais o resto já foi,e em vez dos governos do Brasil procurarem soluções como usinas eólicas e tantos outros meios, nao eles, preferem seguir o exemplo dos EUA devastando os nossos recuros naturais sem atingir o coração do problema (consumismo).
Alfonso Soares
Pós-graduado em Gestao Ambiental